quarta-feira, 2 de março de 2011

E você? É adulto ou criança?

É tão engraçado quando nos falam sobre aspectos da nossa personalidade que poucas pessoas conhecem....Não sei vocês, mas eu levo sempre um baita susto, porque tem muita coisa em mim que eu "tenho a certeza absoluta" que ninguem percebe, que ninguem sabe mas vira e mexe aparece um "alguem" que percebe, que desmembra, que deflora, que arranca a minha máscara (sim, todos nós temos uma) e fala: não D. Debora...você não é bem assim não...

Já coloquei inumeras vezes aqui a minha força de vontade, a minha flexibilidade, a minha verdadeira capacidade de "tirar leite de pedra". Esse meu lado é o que eu faço questão de expor, de berrar aos quatro cantos, "olha gente que valor que eu tenho".

Mas...existe aquele lado que a gente deixa guardadinho...aquele que só um publico muito seleto pode ter acesso...aquele publico que você não precisa mostrar...ele deve perceber e assim provar que pode sim, conhecer os tortuosos caminhos da minha cabecinha voadora.
Hoje mais um entrou para esse rol. Ouvi: "dançei com uma mulher e estou conhecendo uma menina". Num primeiro momento, me armei. Como assim, uma menina??? Você está me criticando??? Está me chamando de infantil???

Mas aí a birra passa, a lucidez vem e paro para pensar: sou menina? Ai Debora...voce ainda tinha duvidas disso? É obvio que você é uma menina!!

E que delicia! Tenho certeza que sou mulher quando tenho que ser...mulher até demais. Administro todos os aspectos da minha vida com louvor, administro uma casa, minhas contas, minhas vontades. Sou uma boa profissional mesmo não gostando do que faço. E estou preparada pro que virá.

E na hora das alegrias? Sou uma menina sim! Moleca, sacana, que rir de qualquer palhaçada, que chora por qualquer bobeira. Que passa seu tempo identificando bichos nas nuvens. Que fica colocando trilha sonora na sua vida. Que tem um blog, como uma adolescente tem um diário. Eu tenho até um idolo que eu chamo de lindo!

Com toda a sinceridade do mundo...não tenho o menor interesse que isso mude. Quero poder continuar adulta onde tem que ser...e só. No resto, que a menina de Campo Grande, andando de bicicleta, correndo atras de doce de Cosme e Damião, continue viva aqui dentro até o ultimo sopro.


P.S: Me lembrei de um texto da Clarice Lispector, acho adequado compartilhar...


“Sou o que se chama de pessoa impulsiva. Como descrever? Acho que assim: vem-me uma idéia ou um sentimento e eu, em vez de refletir sobre o que me veio, ajo quase que imediatamente. O resultado tem sido meio a meio: às vezes acontece que agi sob uma intuição dessas que não falham, às vezes erro completamente, o que prova que não se tratava de intuição, mas de simples infantilidade.
Trata-se de saber se devo prosseguir nos meus impulsos. E até que ponto posso controlá-los. [...] Deverei continuar a acertar e a errar, aceitando os resultados resignadamente? Ou devo lutar e tornar-me uma pessoa mais adulta? E também tenho medo de tornar-me adulta demais: eu perderia um dos prazeres do que é um jogo infantil, do que tantas vezes é uma alegria pura. Vou pensar no assunto. E certamente o resultado ainda virá sob a forma de um impulso. Não sou madura bastante ainda. Ou nunca serei.”



7 comentários:

carlinhos percussa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
carlinhos percussa disse...

Palmas para esse show, vindas de um integrante deste seleto público! Vou penetrando ao meu modo, invadindo e sendo invadido...Não queria ofender, mas gostei do reflexo dessa pedrinha que joguei no meio do seu oceano!! Você é foda, no melhor dos sentidos!!
Quanto a mim, ainda sou criança, também, mais do que adulto, mas quando crescer, se por acaso eu não notar, sei que posso contar contigo pra me avisar: ô manezão, deixa de ser bobo pq vc ja é um adulto! HÁ!

Dama de Cinzas disse...

Esse texto poderia ter sido escrito por mim... eheheh.

Existe uma menina escondida por trás dos muros que levantei e que poucas pessoas percebem. Até por isso mudei o nome de um dos meus blogs para "A menina por trás da Dama", exatamente para poder falar um pouco desse meu lado que pouco mostro.

Beijocas

Fabíola Higino disse...

Que seja sempre possível identificar a leveza, a bondade de uma criança no olhar de um adulto, não é demérito, muito pelo contrário, coisa que poucos conseguem manter.

Debora Giangiarulo disse...

Carlinhos!! Você sabe o quanto eu acho que estamos nesse processo juntos né? Numa sincronia de adaptações bizarramente assustadora....hahaha
Você pode contar comigo assim como eu tenho a certeza que posso contar com você, para qualquer coisa!!
O bloco agradece a visita e os toques! :)

Debora Giangiarulo disse...

Menina Dama, dama menina....é tão mais facil levantar os muros ne? Nossa quanto eu já cai nessa armadilha...
Mas de certa forma é bacana também...só quem é corajoso e merecedor escala esses muros e se depara com o melhor que podemos oferecer!
Obrigada sempre pela visita!

Debora Giangiarulo disse...

Fa!! É isso né...vamos tentar manter intacta a criança dentro de nós. Desejo de verdade, que todos sempre consigam ficar com o que há de melhor em ser criança e ser adulto.